Oldesa
Pesquisa mostra que óleo de dendê pode ajudar a diminuir o colesterol

A culinária baiana sem o dendê não existe. Ele é insubstituível”, diz Ana Cássia Nery, baiana de acarajé.

Um estudo realizado na Bahia e já publicado numa revista científica internacional mostrou que este ingrediente que dá um sabor único à culinária baiana pode fazer bem à saúde. A quantidade consumida e a forma de preparo são importantes para que o dendê possa trazer bons resultados.

Durante duas semanas, um grupo de jovens na faixa dos 20 anos, sem taxas elevadas de gordura no sangue nem sobrepeso, tomou o equivalente a duas colheres de chá de dendê por dia. O óleo era fervido por cinco minutos antes de ser ingerido.

O resultado surpreendeu: a taxa de colesterol total deles caiu 4%, e a de triglicérides, um tipo de gordura, diminuiu 11%, mas os cientistas alertam que para fazer bem, o dendê deve ser usado sem exagero.

“É importante que ele seja adicionado aos alimentos no final, levando o mínimo de tempo de cozimento. Seria aquela questão de apenas para dar o sabor do dendê", diz Ana Marice Ladeia, pesquisadora.

Para ser benéfico ao organismo, o dendê também não pode ser consumido em excesso. “Se ele for usado com muita frequência, ele pode levar à obesidade. A pessoa consumindo uma quantidade maior de gordura pode engordar", explica Amélia Duarte, nutricionista.